Como começou

Neste Blog, será narrada a saga que entitularei de "a virada do jogo". Trata-de do desafio que coloquei para mim mesmo objetivando sair da situação de endividamento extremamente complicada em que me coloquei devido à minha impruduência, desleixo, imprevidência e falta de  planejamento financeiro.A ideia de criar esse blog surgiu de uma crise financeira. Uma severa crise financeira enfrentada por um servidor público federal com mais de 35 e menos de 40 anos, com esposa e  filhos. Depois de ler uma postagem do Blog valores Reais e uma postagem no blog do Diário de um Poupador eu me senti motivado, inspirado, influenciado em contar a minha experiência financeira de maneira pública, embora anônima.

Quero narrar cada fato, cada decisão, cada centavo a menos de passivo que conseguir contabilizar no meu patrimônio que por ora está bastante negativo. Quero compartilhar com todos de forma extremamente detalhada a minha real situação e como, através de decisões financeiras erradas que venho tomando desde quando comecei a minha vida profissional, consegui chegar ao fundo de poço financeiro no qual me encontro atualmente.

Acredito que o blog será uma ferramenta extremamente útil para me manter focado no meu projeto que inicialmente estará voltado para sair do vermelho, passo essencial para que, em um futuro próximo, eu possa buscar a independência financeira através de investimentos. O blog será um meio para receber sugestões e conselhos que serão muito bem - vindos. Através deste blog eu pretendo aprender, praticar e transmitir também um pouco de conhecimento financeiro e de outras áreas de desenvolvimento pessoal, como saúde, exercícios físicos e leitura de bons livros. 

Vou iniciar a minha caminhada no vermelho. Não tenho vergonha disso, embora também não seja motivo para me orgulhar. É a verdade, a realidade, é o que tenho para hoje. O ponto em que cheguei atualmente é grave, mas não é irreversível. Sei que atualmente tem pessoas enfrentando situações bem piores que a minha, e talvez nem se deram conta disso ainda. Eu pelo menos tomei consciência, acordei, vi a encrenca em que esteva me metendo e da qual não iria conseguir sair se não tomasse uma decisão contudente e rápida.

Para mim chega. O que já paguei de juros e taxas para as instituições financeiras dariam para construir um patrimõnio considerável, afinal, fiz o meu primeiro empréstimo consignado após três meses de serviço público, há mais ou menos 10 anos atrás, e até a atual data ainda me encontro com o contracheque recheado deles. Cartões de crédito? Tenho três, pagando anuidades, faturas com valores exorbitantes. E por fim o cheque especial, o pior tipo de dívida que existe, a mais alta taxa de juros,além do IOF. Sim, eu também estou com dívida lá no cheque especial. 

Nesse primeiro post não vou especificar em números a minha situação. Isso vai ocorrer nos próximos. Neste momento eu só quero me apresentar mesmo à blogosfera financeira, pontuando desde já que todo conselho, sugestão, observação e incentivos serão de muita valia nesse início de caminhada.

Sei que estou tentando entrar em um meio de pessoas que estão buscando a independência financeira, pessoas que possuem alto grau de conhecimentos e educação financeira. Pode até parecer estranho um devedor como eu tomar a liberdade de invadir esse meio postando os meus balanços negativos, as minhas dívidas e os meus problemas de orçamento doméstico. Mas acreditem: eu preciso disso para me motivar, para me incentivar e me manter focado. Assim como vejo o patrimônio de vocês aumentarem mês a mês, vocês vão presenciar as minhas dívidas diminuindo através de amortizações e de decisões inteligentes, através de força de vontade e organização. E o mais importante, essa virada do jogo, essa volta por cima, esse objetivo estará aqui documentado e quem sabe um dia possa servir de incentivo para outras pessoas empreenderem a mesma busca. 

Quero estipular um compromisso comigo mesmo de fazer uma postagem por semana, salvo motivo de força maior, sendo que no último dia do mês farei uma postagem sobre a minha situação patrimônial. Então vamos lá ...


Um forte abraço a todos.

2 comentários:

  1. Dou todo o apoio. Já fui super endividada também anos atrás, numa proporção menor que a sua, mas a ponto do salário cair, pagar as contas e não sobrar 1 real. Eu pedia até dinheiro emprestado pra minha mãe na época. Aí saí do emprego e zerei todas as dívidas de cartão de crédito, empréstimo pessoal, cheque especial e o FIES. Diminuí o padrão de vida o máximo que pude e comecei a aprender sobre educação financeira. Aí diminuí até o que eu nunca tinha parado pra pensar: cancelei todos os cartões de crédito com anuidade, transformei minha conta para conta digital para não pagar mais tarifas (hoje os bancos grandes não oferecem mais esse tipo de conta), cancelei Netflix. Comecei a procurar emprego, mas nada dava certo. Quando completou um ano de desemprego, comecei a estudar para concursos. Passei em alguns, outros não. Assumi o primeiro concurso e ganhava muito pouco, só aceitei porque conseguia pagar as contas e com isso parava de gastar o dinheiro que eu tinha recebido da rescisão. Depois de 5 meses assumi outro cargo público para ganhar o dobro, estou até hoje nesse emprego. Passei em outro concurso (dessa vez de nível superior) para ganhar mais que o dobro do que ganho hoje, mas está suspenso porque está rolando um processo. Acredito que vai dar tudo certo, mas vai demorar um pouco mais do que o esperado. Mês passado comprei um carro usado, dei 65% à vista e o restante parcelei em 11x no cartão de crédito com juros (nem se compara com juros de financiamento). Já estou me programando para pagar as parcelas antecipadas no Nubank. Ano que vem quero fazer uma cirurgia que custa R$ 10.000,00 e preciso juntar para pagar à vista. Além disso, vou montar uma reserva de emergência emergencial em torno de R$ 5.000,00. Estudo bastante sobre investimentos e depois que eu fizer a cirurgia, quero focar muito na busca da independência financeira. Mas torço muito para que você realmente consiga sair a corrida dos ratos e consiga almejar a IE. Vou acompanhar seu blog.

    ResponderExcluir
  2. Anônima,

    Seu relato me inspira muito e me ajuda a ver que tem solução. Você foi muito corajosa por enfrentar os desafios e sair da situação de endividamento, é essa mesma coragem que eu estou buscando. Obrigado por compartilhar a sua história e se disponibilizar a acompanhar a minha. Saiba que isso faz uma grande diferença para mim e me motiva ainda na busca do meu objetivo.

    Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Em breve responderei.

Fechamento Abril/2019

Bem meus amigos, aqui estou mais atrasado que Rubinho Barrichelo para   mais um fechamento.   Pode até não ser do interesse de ningué...