domingo, 21 de janeiro de 2018

Reflexões



A ideia de criar e escrever neste blog foi uma necessidade de dividir angústias e sentimentos que normalmente não irei conversar ou confessar no meu trabalho ou com alguns membros da minha família. 

O anonimato  permite, de certa forma, ser o mais honesto possível com a minha visão de mundo e as minhas opiniões, que de outra forma seria um pouco difícil de expressar. Não que esse anonimato me permita qualquer coisa, mas posso ter a liberdade de expressão que muitas vezes me falta no dia - a - dia da vida em sociedade.

Desta forma, sinto-me mais à vontade inclusive para escrever um pouco sobre a minha história, refletir em voz alta sobre os caminhos que escolhi para chegar até o presente momento, de maneira mais honesta possível. Ainda que ninguém leia as minhas divagações, tenho plena certeza que valeu à pena parar, refletir e escrever um pouco. Isso me faz muito bem e é um exercício de autoconhecimento sem precedentes.

Sempre fui um cara muito desligado das questões de finanças em geral, e herdei isso dos meus pais. Meus pais nunca souberam administrar bem os seus recursos e sempre viveram envoltos com dívidas atrasadas. Por mais que fossem trabalhadores, o único patrimônio que conseguiram foi uma casa própria.  Eu também me vi trilhando esse mesmo caminho, com os mesmos costumes de me endividar e não valorizar o meu dinheiro. Até o mês passado, eu não  respeitava o meu dinheiro, não sabia exatamente onde gastava, quanto gastava. Minhas finanças eram um caos. Agora estou organizando melhor as coisas.

Em minha vida sempre fui um cara muito trabalhador, nunca tive medo de acordar cedo e trabalhar, isso também aprendi em casa. Comecei a trabalhar com 13 anos de idade e praticamente não parei mais. Sempre ganhei mais do que o normal para a minha idade, porém sempre gastei mais também, mais inclusive do que eu ganhava, e isso me fez ser um cara vivendo uma grande contradição: ganhando muito bem, mas sem nenhum patrimônio. Com o passar do tempo este fato começou a me incomodar, chegando mesmo em uma situação limite, que me motivou a procurar na internet por educação financeira.

A história da minha vida foi marcada por problemas financeiros desde a adolescência até os dias de hoje. Foi. Doravante, não será mais, pelo menos no que depender de mim, e eu sei que quase tudo depende de mim. 

Esses primeiros dias em que estabeleci metas financeiras não estão sendo nada fáceis. A mudança de hábito sempre trás um pouco de dor no início e soma-se a isso o fato que eu preciso ter competência também para lidar com as dificuldades do outro, nesse caso a minha esposa, que junto comigo precisa se educar financeiramente para a as metas sejam atingidas por toda a família. Nesse primeiro momento, a minha atitude está sendo prioritariamente de mapear e quantificar os gastos, já estudando possibilidades de diminuição de despesas.

Meu compromisso inicial é montar uma reserva de emergência para quando acontecer um imprevisto não precisar lançar mão de dívidas. A partir disso, buscar a diminuição constante das dívidas já existentes através de amortizações mensais e mudar a minha situação financeira de devedor para investidor. A independência financeira ainda é um sonho distante, mas a ser perseguido em longo prazo.

Na atual situação em que me encontro, qualquer ação no sentido de controle e diminuição das despesas vai ser positiva. Esse gerenciamento que tenho feito e continuarei fazendo em minhas finanças é de um PODER educativo sem precedentes. Quando temos os dados, a informação em mãos, fica quase impossível negar a realidade e a necessidade de  ação.

Como eu falei antes, fui criado em um ambiente que desprezava qualquer coisa relacionada ao dinheiro ou educação financeira. Não culpo os meus pais e nem tenho qualquer mágoa deles, pois fizeram o que podiam fazer na época. Agora, mesmo perto dos quarenta, tenho a oportunidade de ser uma pessoa de transição dentro da minha cadeia genealógica. Os meus filhos podem ser criados dentro de um ambiente que preza pela frugalidade, pela austeridade e pela educação financeira. Essa transição está em minhas mãos, só depende de mim. Uma ótima semana a todos.




6 comentários:

  1. Está fazendo o certo AVJ, pois você tomou a decisão de mudar, apesar de tudo conspirar contra.

    Não se preocupe com dificuldades iniciais, todos que tentam sair das dívidas passam ou vão passar por isso. O diferencial vai ser como reagiremos a essas dificuldades. Passei meses tentando ser frugal, mas só vim sentir mesmo a diferença final do ano passado, mais especificamente quando criei o blog e passei a ser mais ativo na comunidade.

    Força meu camarada, um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Grande D.P. !

    Obrigado pelas palavras meu amigo. Realmente, não são poucas as dificuldades iniciais, inclusive o medo de não ver nenhum resultado à princípio. Mas venho enfatizando que esse é um exercício de paciência e persistência.

    Ainda nem fechei o primeiro mês de monitoramento, tenho uma longo caminho. Como aquele diz naquele post lá nos valores reais, vou trabalhar duro o ano intereiro para entrar 2019 no azul, com uma situação sensivelmente melhor.

    O blog e o convivio aqui na finansfera está sendo de muita ajuda para mim, embora ainda não tenha me enturmado com a maioria dos blogueiros. Isso também farei de forma gradativa, conforme dispor de tempo.

    Um forte abraço meu amigo e boa semana !

    ResponderExcluir
  3. Boa sorte na jornada! Acompanhe os amigos da finansfera que é uma dose de ânimo diário! Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Sr. Bufunfa.

    Com certeza, esse é um excelente exercício de educação financeira !

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Fala, AVJ. Tomar as rédeas da própria vida é libertador, com calma e insistência você vai conquistar seus objetivos e logo estará aportando em busca da IF.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Valeu Concursado !

    Devagar e sempre, o importante é a constância ...

    Forte Abraço !

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário.

O Melhor dia Para Plantar Uma árvore

Fazendo uma leitura hoje de um artigo no blog do amigo Julius , me deparei com essa frase:  " O melhor dia para se plantar um...